Os Cheyennes começaram a usar a medicina nativa em cerimônias com Tipis no final de 1800. Em 1884 foram visitados por Quananh Parker (um mestiço, chefe comanche), que realizou muitas cerimônias para eles. Naquele mesmo ano, um pouco mais tarde, Leonard Taylor e John Turtle e sua mulher Dog Woman (Cheyennes) foram para as terras Kiowa e aprenderam a cerimônia à moda deles.
Anos mais tarde, surgiu a primeira Igreja Nativo-Americana (N.A.C.), que integrou várias tribos, tendo como local de cerimônia a Tipi. Esta cerimônia se destacou por usar orações, canções e propagar a paz.

Desde 1995 esta cerimônia foi apresentada no Brasil pelo Centro de Estudos Xamânicos – RJ, conduzida pelo Road Man Hector Mario Gomes, sendo a primeira cerimônia da Meia lua realizada no Brasil.

Em 1997, o Caminho da Meia-Lua de Quanah Parker foi representado pelo Road man e Chefe Cheyenne Nelson Turtle, que herdou o conhecimento de seus pais e avós.  Ele no Brasil acolheu como filhos brasileiros Carlos Sauer, Tony Paixão e Lino Py, para dar continuidade a seus conhecimentos, posteriormente acolhendo também Rogério Favila, Bull e Bill.

Nelson Turtle (19 de novembro de 1937 a 11 de fevereiro de 2010) foi um ancião do Sul, Cheyenne tradicional do Clan do Beaver de Oklahoma, e um líder da Igreja Nativa Americana. Seus irmãos, William (Bill) e Wayne Ralph Turtle, também foram roadmen (homens do caminho) dos rituais de Peyote. A Bisavó de Nelson era Dog Woman, Mulher Cachorro, e seu companheiro era o ancião John Turtle, que falava mais de 30 línguas nativas.

1995 – Half Moon Cerimony
1997 – Half Moon Cerimony
Tony Paixão e Nelson Turtle
2006 – Peyote brodhers

A família Turtle, juntamente com outras seis famílias de seis tribos diferentes, foi escolhida por Quanah Parker, um chefe Comanche e fundador da Igreja Nativa Americana, para começar a executar cerimônias Peyote mais de 150 anos atrás. Foi dado à Dog Woman um saco de medicina do Peyote de Quanah Parker contendo suas ferramentas tradicionais (um chefe, ou botão Peyote, um tambor e um chocalho), e assim ela se tornou a primeira mulher a dirigir uma cerimônia de Peyote entre o povo Cheyenne. A sacola de medicina do Peyote ainda permanece na família Turtle até hoje.

As cerimônias do Peyote da Igreja Nativa Americana nunca foram as práticas religiosas tradicionais das culturas indígenas da América do Norte. Esta forma religiosa foi desenvolvida no século XIX, inspirado em fatos da época vindos do Leste e Oeste do Rio Mississippi, sob a liderança de Quanah Parker, e influências de nativos americanos do México e outras tribos do sul.

1997 – com Nelson Turtle
2020 – Hector e Tony
1995 – Half Moon Cerimony
2020 – Half Moon Cerimony

Agradecimentos especial aos anciões que foram generosos em compartilhar este conhecimentos conosco, Hahoo!

Tony Paixão

Voltar a página inicial